O que a fototerapia pode fazer por sua pele Conheça a técnica de fototerapia, que usa raios ultravioletas e luzes para combater problemas de saúde e estéticos de pele gplus

AreaH - Baixe grátis na Apple Store

AreaH - Baixe grátis na Google Play

   

O que a fototerapia pode fazer por sua pele

Conheça a técnica de fototerapia, que usa raios ultravioletas e luzes para combater problemas de saúde e estéticos de pele

Confira Também

A fototerapia é um tratamento terapêutico para a pele que usa um aparelho emissor de raios ultravioletas (UVA e UVB), de luz (LED) e infravermelhos (IV). É usada, sobretudo, em quem apresenta doenças de pele, como rosácea, vitiligo e psoríase. Mas também traz benefícios para quem procura melhorar a estética. 

Segundo a fisioterapeuta Marília Barboni Luz, proprietária da L&L Espaço Vida ao Corpo, pessoas que se incomodam com problemas como envelhecimento de pele, flacidez, ressecamento, manchas, acne e cicatrizes podem alcançar bons resultados com o tratamento.

Geralmente, a fototerapia é feita por meio da emissão de luzes, concomitantemente ao uso de cosméticos. "Se realizada de forma correta, a técnica age na matriz celular, auxilia no processo de cicatrização, melhora a circulação sanguínea, controla processos inflamatórios e edemas e ajuda no processo de analgesia", diz Marília, que aplica a técnica em seu estúdio.

É preciso, no entanto, fazer uma avaliação da pele e do tipo de problema que a pessoa possui, para que sejam usadas as luzes e os cosméticos adequados. Além disso, o tratamento precisa ser feito por especialistas, entre eles fisioterapeutas, esteticistas ou dermatologistas. "Se for corretamente aplicada, a fototerapia não costuma gerar efeitos colaterais", defende Marília. 

No entanto, há pesquisas que descrevem problemas com a técnica, como náuseas, dor de cabeça, tontura, catarata, problemas fototóxicos e fotoenvelhecimento. Por isso, é tão importante que o profissional seja especialista na técnica.

Por fim, não podem se beneficiar da fototerapia pessoas com catarata, albinismo, problemas de rim e fígado descompensados, assim como gestantes, quem usa marcapasso ou passa por tratamento de câncer e aqueles que possuem histórico pessoal ou familiar de câncer de pele.