Correr é contagioso, segundo estudo A velocidade e a frequência das corridas dos seus amigos podem influenciar no seus exercícios gplus

AreaH - Baixe grátis na Apple Store

AreaH - Baixe grátis na Google Play

   

Correr é contagioso, segundo estudo

A velocidade e a frequência das corridas dos seus amigos podem influenciar no seus exercícios

Confira Também

Você sempre se sentiu incentivado a fazer exercícios físicos e adotar uma “vida fitness” ao ver seus amigos e celebridades postando fotinhos na academia ou mesmo correndo na rua? Pois bem, isso tem uma explicação: um estudo feito pela Nature Communications e desenvolvido por pesquisadores do MIT (Massachussets Institut of Technology) concluiu que, assim como a gripe, correr é contagioso.

Calma, pois a afirmação não é sem embasamento. Os pesquisadores analisaram, durante cinco anos, dados de mais de um milhão de atletas inscritos em uma rede social de corrida (dessas que você compartilha com os seus seguidores os dados sobre a duração e o percurso do exercício), e ainda estudou 3,4 milhões de conexões entre os corredores estudados. Os resultados mostraram que ter amigos que correm é essencial para que você comece a correr, continue correndo e corra ainda mais.

Para exemplificar como isso funciona, os estudiosos observaram como as pessoas conectadas reagem frente a amigos distantes. Por exemplo: as chances de um corredor sair para uma volta durante um dia chuvoso em São Paulo aumentam caso ele tenha visto as estatísticas de uma colega carioca, que aproveitou o solzão de Copabana? Sim. Isso porque, de acordo com o estudo, um clima excepcionalmente bom para correr em uma cidade, pode incentivar pessoas a milhares de quilômetros dali, independente de como esteja o clima “do outro lado na ponte”.

Os impactos também são mensuráveis: a cada 1 km corrido a mais pelo amigo influenciador, o influenciado em questão corre mais 300 metros. E assim suscetivelmente.

A análise dos dados obtidos pelos pesquisadores ainda indica que, enquanto os homens são influenciados por corredores de ambos os sexos, as mulheres são influenciadas apenas por mulheres. 

Mas, assim como uma gripe, a corrida também cria em nós uma espécie de sistema imunológico contra influências. Isso porque, conforme o tempo passa, as pessoas tendem a se acostumar e são menos impactadas pelos corredores profissionais.