8 cidades do mundo que oferecerem incentivos a moradores estrangeiros Está a fim de morar em outro país, mas a grana está curta? Sem problema. Conheça os países que te pagam para morar lá gplus

AreaH - Baixe grátis na Apple Store

AreaH - Baixe grátis na Google Play

   

8 cidades do mundo que oferecerem incentivos a moradores estrangeiros

Está a fim de morar em outro país, mas a grana está curta? Sem problema. Conheça os países que te pagam para morar lá

Confira Também

Se seu sonho de vida sempre foi viajar o mundo ou, ainda, encontrar um novo país para se estabelecer, saiba que seu objetivo está mais fácil de se concretizar. Porém, ao contrário do que você pode estar pensando, não é necessário desembolsar altas quantias do seu suado dinheiro para realizar seu sonho, muito pelo contrário: você pode ganhar dinheiro para morar em outra cidade em países estrangeiros.

Motivado principalmente pela escassez de habitantes nativos e a baixa taxa de natalidade, um número cada vez maior de países vem adotando medidas para reverter – ou, na medida do possível, minimizar – esse cenário, que acaba por gerar falta de mão de obra, de novas gerações e leva, consequentemente, ao fim daquela comunidade. As medidas, em sua maioria, são incentivos econômicos e privilégios com o objetivo de atrair novos moradores.

Se interessou? Confira quais são esses países e suas propostas para estrangeiros.

#1 Alaska (Estados Unidos)
Relativamente isolado do restante do país, o Alaska é o mais extenso estado dos EUA e também o menos povoado do território norte-americano. Por se tratar de uma península, muito próxima ao Canadá, muitos se referem ao Estado como “a última fronteira”. É também um dos estados com o clima tipicamente polar, o que faz com que o frio permaneça durante o ano todo, com temperaturas que pode chegar aos -50°C. Talvez por causa disso o governo esteja oferecendo US$ 2 mil àqueles que viverem lá durante um ano.

#2 Camden (Canadá)
Cidade pouco conhecida de Nova Escócia, uma das 10 províncias do Canadá, à beira do Oceano Atlântico, tem sua economia baseada principalmente em turismo, nas pesca e na prestação de serviços financeiros. Como tentativa de reanimar sua economia, ainda bastante afetada por crises desde 2008, o governo canadense adotou uma política de doar terras – exatamente 2,8 hectares- a qualquer um que esteja disposto a torná-lo rentável e gerar empregos.

#3 Ilha Miyake-jima (Japão)  
O sonho de muitos é morar na “Terra do Sol Nascente”, país tecnologicamente avançado e com uma cultura bastante diferente e interessante, mas nem tudo lá é assim. Mas, antes de tudo, saiba que o local se trata de uma ilha de origem vulcânica, portanto gases tóxicos são presença constante na região, tornando impossível viver lá sem contar com uma máscara de gás a tiracolo. O motivo do “convite”? O governo está pagando os moradores para fazerem parte de pesquisas sobre os efeitos do gás sulfúrico em seres humanos.

#4 Kansas (Estados Unidos)
A cidade que ficou conhecida no cinema através da inesquecível e homenageada frase “guess we're not in kansas anymore” (acho que não estamos mais no kansas, em tradução livre) é uma das que abre seus braços para novos habitantes. As “boas-vindas” podem acontecer de diversas formas: através de incentivos como auxílio moradia, isenção de impostos por 5 anos e até mesmo um generoso empréstimo de 15 mil dólares para estudos.

#5 Tristão da Cunha (Reino Unido)
O arquipélago de Tristão da Cunha fica no Oceano Atlântico, entre a África e a América do Sul, e é conhecido como o território habitado mais remoto do mundo. Apenas o povoado de Edimburgo dos Sete Mares e a Ilha de Gonçalo Álvares são habitados. A ilha principal (que dá nome ao arquipélago) tem apenas 267 habitantes. O salário fica em 25 mil libras por ano e os interessados ganham transporte e casa para morar. 

#6 Ponga (Espanha)
Um município da Espanha bastante desconhecido e longe dos polos turísticos mais conhecidos como Madri e Barcelona, Ponga é uma das comunidades autônomas das Astúrias escassamente povoado – há pouco mais de 10 anos, sua população era de apenas 700 habitantes – e bastante tradicional. Como tentativa de repovoamento, o governo oferece uma quantia de até 3 mil euros para quem quiser se mudar para o local. A proposta é válida somente para casais, então, se você estiver solteiro, o jeito é procurar outra opção.

#7 Saskatchewan (Canadá)
Também chamado de Sascachevão – embora seja mais aconselhável aprender o nome original –, é uma das 10 províncias (Estados) do Canadá, assim como Camden. Seu nome tem origem no rio homônimo, batizado por uma tribo indígena americana nativa da região, e significa “rio que corre velozmente”. Com 158 cidades no total, a província oferece o valor de 13 mil euros para estrangeiros que queiram se estabelecer na região, mas requer fluência no inglês, ser recém-formado e ficar por sete anos.

#8 Utrecht (Holanda)
A cidade é a capital mais populosa da província de mesmo nome e fica no centro do país, próxima ao rio Reno. É nessa cidade que fica a Universidade de Utrecht, umas das mais prestigiadas da Holanda. Além disso, é um importante centro industrial do país. Os interessados em aproveitar tudo o que a cidade tem a oferecer têm a oportunidade de receber 900 euros do governo para morar lá e fazer parte de um estudo que tem por objetivo observar a produtividade de indivíduos que sobrevivem exclusivamente dos incentivos econômicos.