Como escolher um hotel para seu pet É importante avaliar bem o local e os profissionais para evitar problemas como fuga e maus tratos gplus

AreaH - Baixe grátis na Apple Store

AreaH - Baixe grátis na Google Play

   

Como escolher um hotel para seu pet

É importante avaliar bem o local e os profissionais para evitar problemas como fuga e maus tratos

Confira Também

As férias finalmente chegaram e, com ela, a dúvida de quem optou por não levar o bichinho de estimação na viagem: o que fazer com o pet enquanto estiver fora? “Existem diferentes opções para os animais que não vão acompanhar a família durante uma viagem, mas é importante avaliar corretamente tanto o local, quanto a personalidade do animal, sua capacidade de adaptação e socialização ao ambiente e a outros bichos”, explica Jorge Morais, veterinário e diretor da rede Animal Place.e

Há diferentes tipos de hospedagem para os pets e entre eles está o serviço dos Pet Sitters, profissionais que cuidam, passeiam e até mesmo hospedam os animais em suas próprias casas, mas que, muitas vezes, não possuem experiência ou formação em veterinária. “Acredito que seja o tipo de hospedagem mais humanizada, já que os animais ficam na residência do profissional”, comenta o profissional. No entanto, o dono do animal deve observar muito bem a estrutura onde o mesmo será deixado, avaliando questões primordiais como a segurança e seleção dos hóspedes. “A fuga e o extravio de animais são comuns neste modelo de negócio pois são locais que não foram pensados para essa finalidade”, completa.

Já sobre os hotéis para cães e gatos, o especialista aconselha ao dono sempre ter referências anteriores, além de visitar o local antes de deixar o animal. “A procura por hotéis tem aumentando muito, seja pela falta de tempo dos donos ou por conta de férias da família. Para encontrar um local idôneo a sugestão é buscar indicação de amigos e conhecidos, ver se o local oferece condições de higiene, espaço adequado e segurança”, explica Morais.

O profissional ainda reforça que o local deve exigir que o animal tenha todas as vacinas e vermifugação em dia, além de aplicar remédio para pulgas e carrapatos, tudo para que não contamine os outros e sob a supervisão de um veterinário. “Outro ponto a ser ressaltado é se o responsável por cuidar do animal tem afinidade, treinamento e se conhece as particularidades da raça e espécie, seja de cães, gatos e até mesmo pássaros”, finaliza.