Glossário do vinho: os termos mais usados que você precisa conhecer Para você conhecer o vinho de A a Z, separamos alguns dos termos mais usados que todo enófilo deve ter na ponta da língua gplus

AreaH - Baixe grátis na Apple Store

AreaH - Baixe grátis na Google Play

   

Glossário do vinho: os termos mais usados que você precisa conhecer

Para você conhecer o vinho de A a Z, separamos alguns dos termos mais usados que todo enófilo deve ter na ponta da língua

Confira Também

A popularização do vinho - cada vez mais presente durante refeições ou até mesmo como forma de aliviar a tensão após um dia cansativo, sem perder sua aura de sofisticação - tem contribuído para que cada vez mais pessoas busquem se informar sobre a bebida.

LEIA TAMBÉM

Com uma história que remonta a milhares de anos, não é de se surpreender que o vinho possua hoje todo um conjunto de expressões particulares ao seu universo. Mas se você ainda se perde em termos complicadíssimos usado pelos enófilos mais radicais, não se preocupe: montamos um glossário do vinho completo para você conhecer os principais. Confira:

ACIDEZ: diz-se do conjunto de ácidos que o vinho contém. São os responsáveis pelo bom equilíbrio da bebida.

AFINADO: vinho que evoluiu corretamente, adquirindo perfeito equilíbrio entre aroma e sabor.

AMPLO: vinho com bouquet rico e com muitas nuances, oferecendo agradáveis sensações olfato-gustativas.

AROMA: percepção olfativa do vinho na boca. O odor emanado pelo vinho propriamente dito se chama “o nariz”.

AROMÁTICO: vinho cujo aroma provém diretamente de castas aromáticas (ex.: Sauvignon, Malvasia, Traminer).

ÁSPERO: com excessiva adstringência e acidez.

ASSEMBLAGE: mistura de diferentes tipos de uva no processo de produção de um vinho.

ATTAQUE: primeira sensação que o vinho causa na boca

AVELUDADO: vinho extremamente macio, lembrando a textura do veludo.

BALANCEADO: harmonia entre os aspectos gustativos fundamentais, em especial a acidez, doçura, adstringência e teor alcoólico.

BODEGA: equivalente espanhol para vinícola.

BOUQUET: conjunto de sensações olfativas adquiridas pelo vinho na garrafa. Característica dos vinhos envelhecidos.

CARÁTER: conjunto de qualidades que dão personalidade própria ao vinho permitindo distingui-lo de outros.

CEPA: casta ou variedade de uva.

CHAMBRER: adaptar o vinho à temperatura-ambiente.

CHAMPAGNE: vinhos feitos na região francesa de Champagne com as uvas Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay.

CHARDONNAY: uva originária da região da Borgonha. Produz vinhos com bom teor alcoólico e alta acidez.

CHEF DE CAVES: chefe Das Adegas, responsável pelas adegas e pela vinificação.

CORDON: termo que designa o colarinho de espuma que fica no copo.

CORPO: sensação tátil do vinho à boca, que lhe dá peso (sensação de boca cheia) e resulta do seu alto teor de extrato seco.

CURTO: que não deixa sabor persistente na boca.

CUVÉE: denominação francesa para distinguir um vinho específico. Um vinho cuvée é produto da primeira prensagem da uva.

DECANTAR: ato de transferir o vinho da garrafa para uma jarra para separar os sedimentos originários do envelhecimento.

DELICADO: define um vinho elegante, gracioso, que apresenta particular harmonia e qualidade.

DEMI-SEC: meio seco, ligeiramente doce com maior teor de açúcar que o Brut

DESARMÔNICO: que possui exacerbação de um dos componentes gustativos, como excessiva acidez, doçura elevada, etc.

ELEGANTE: vinho muito equilibrado, fino, de classe.

ENCORPADO: terminologia usada em degustação para indicar um vinho rico em extrato seco (corpo).

ENÓFILO: apreciador e estudioso de vinhos.

ENOLOGIA: ciência que estuda o vinho.

ENÓLOGO: indivíduo que tem conhecimentos de enologia; formado em faculdade de enologia. O enólogo faz o vinho.

ÉPANOUISSEMENT: segunda sensação de um vinho na boca, sucedendo o ataque e precedendo o final.

EQUILIBRADO: vinho em que todos os componentes estão na proporção correta, principalmente o álcool e os ácidos.

ESPALDEIRA: denominação para o sistema cujas videiras são plantadas verticalmente.

ESPUMANTE: vinho com gás carbônico, efervescente. São todos os "champanhes" feitos fora da região de Champagne. 

ESTRUTURADO: vinho com boa presença de álcool, ácidos e taninos.

EVANESCENTE: no exame dos espumantes refere-se à espuma que desaparece rapidamente.

FENÓIS: compostos fenólicos são um grupo de antioxidantes que combatem o envelhecimento celular (radicais livres).

FINAL/FIM-DE-BOCA: fim da fase gustativa. Sensações finais, gustativas e olfato-gustativas, percebidas após a deglutição do vinho.

FLÛTE: taça ideal para espumantes.

FLORADO: com aroma de flores.

FRISANTE: vinho ligeiramente efervescente, com uma cena riqueza de anidrido carbônico, porém inferior à dos espumantes.

FRUTADO: diz-se de um vinho com aroma e gosto de frutas frescas. Características dos vinhos jovens.

GENEROSO: forte, com alto teor alcoólico.

HARMÔNICO: vinho que equilibra álcool, acidez e açúcar, deixando na boca uma agradável sensação.

LEVE: com pouco corpo e pouco álcool, mas equilibrado; o mesmo que ligeiro.

MACIO: designa o vinho com bom teor de glicerina, justamente alcoólico e com pouca acidez.

MADURO: vinho que, em sua evolução, atingiu um estágio ideal, com pleno desenvolvimento das características organolépticas.

MILLÉSIME: vinhos elaborados exclusivamente a partir de uvas do mesmo ano.

ORGANOLÉTICO(A):  características olfatórias, gustativas e táteis de um vinho, percebidas durante a sua degustação.

PERLAGE: as bolhas dos espumantes.

PERSISTÊNCIA: sensação do gosto deixado pelo vinho na boca após ser deglutido ou cuspido.

PINOT NOIR: casta nobre usada nos grandes vinhos da Borgonha, França, e também na elaboração de champanhes.

PROSECCO: casta de uva branca originária da região de Veneto, Itália. Seu nome também identifica o espumante em cuja produção é empregada.

REDONDO: maduro e equilibrado.

RETROGOSTO: impressão que se tem depois da degustação de um vinho.

ROLHA: diz-se que o vinho tem odor e/ou gosto de rolha quando apresenta aroma desagradável passado por rolha contaminada.

SECO: pela legislação brasileira, é o vinho que apresenta um máximo de 10g/l de açúcares residuais.

SOMMELIÉR: profissional que trabalha em restaurantes, elaborando cartas de vinhos e orientando clientes na escolha da bebida ideal para combinar com o prato.

TANINO: componente da casca e das sementes das uvas tintas. Dá ao vinho caráter e estrutura para envelhecer.

TEMPERATURA IDEAL: para o consumo de espumantes varia entre 6°C e 8°C

TERROIR: terreno onde se localiza um vinhedo ou as características do solo, do microclima e do ecossistema do local, responsáveis pela qualidade do vinhedo e, conseqüentemente, pela qualidade do vinho que ele originará.

VARIETAL: vinho com indicação, no rótulo, da uva predominante em sua elaboração. Designa também a variedade da uva

VIDEIRA: planta que produz uva. Também chamada de parreira ou vinha.

VINOSO: característica dos vinhos jovens, lembrando o cheiro do mosto da uva.